Início > Évora

Évora

A Cidade

Évora é uma cidade portuguesa, capital do Distrito de Évora, e situada na região Alentejo e sub-região do Alentejo Central, com uma população de cerca de 41.159 habitantes. É sede de um dos maiores concelhos de Portugal, com 1.308,25 km² de área o que equivale a 5% da área da região, tem uma área urbana com 1.643,5 ha. com o centro histórico a ocupar 103 ha.. O concelho tem Évora tem 55.420 habitantes (2006), e está subdividido em 19 freguesias sendo 7 freguesias Urbanas (das quais 3 no Centro Histórico) e 12 freguesias rurais.

O município é limitado a norte pelo município de Arraiolos, a nordeste por Estremoz, a leste pelo Redondo, a sueste por Reguengos de Monsaraz, a sul por Portel, a sudoeste por Viana do Alentejo e a oeste por Montemor-o-Novo. Évora é conhecida como a Capital do Alentejo.

Desde 1986, Évora tem o seu centro histórico classificado pela UNESCO como Património da Humanidade, e é considerada uma das mais belas cidades portuguesas e uma das cidades portuguesas com maior qualidade de vida. A cidade é apelidada de "Cidade Museu".

O núcleo mais antigo é rodeado pela muralhas romanas e contém alguns dos mais importantes monumentos da cidade e o seu ex-libris o Templo Romano. No Século XV começa a "idade de ouro" da cidade a família real instalava-se em Évora por largos períodos e com ela a corte de nobres, cientistas, cronistas. Desta época datam os grandes palácios da cidade, as casas nobres, o Aqueduto e o sistema de abastecimento de água ás fontes da cidade, inúmeros conventos e a Universidade. Os estilos manuelino, renascentista, e barroco estão largamente representados na cidade que então se construiu.

A População

Évora tem visto crescer o seu peso demográfico em relação à região (4,5% em 1960 e 8,2% em 1991). Em relação ao país, o peso demográfico de Évora mantém-se estacionário, embora com uma tendência para um ligeiro reforço. O Concelho tem vindo a ganhar população desde 1911, com uma ligeira quebra na década de 60. A cidade também tem crescido continuamente ao longo do século, sobretudo no exterior das muralhas, já que intra-muros (Centro Histórico) se verificou um decréscimo acentuado na última década. De realçar a crescente urbanização do concelho: em 1960, as freguesias urbanas concentravam 68,25% da população; em 1991, esse valor era de 82,5%.

No Concelho de Évora a população tem vindo a envelhecer. Observa-se um aumento da representatividade dos grupos etários mais idosos e uma diminuição acentuada dos mais jovens. Este fenómeno deve-se a decréscimos simultâneos da natalidade e da mortalidade. Há indícios de que na década de 80 o fenómeno pode estar a sofrer alterações, devidas à capacidade de Évora atrair novos residentes (Universidade, Serviços Regionais da Administração, entre outros factores de atracção). A maioria dos novos residentes são oriundos de concelhos exteriores ao Distrito. No conjunto da área urbana, a população é mais jovem que no resto do concelho.

A História

O nome Lusitano da cidade de Évora era Eburobrittium, provavelmente relacionado com a divindade celta Eburianus. A raiz etimológica viria do Celta *eburos, a árvore do Teixo. A cidade teve o nome de Ebora Cerealis durante a República Romana, tomando o nome de Liberalitas Julia no tempo do general Júlio César, sendo então já uma cidade importante, como o demonstram as ruínas de um templo clássico e os vestígios de muralhas romanas.

Conquistada aos Mouros em 1165 por Geraldo Sem Pavor, data em que se restaurou a sua diocese. Foi residência régia durante largos períodos, essencialmente nos reinados de D.João II, D.Manuel I e D.João III. O seu prestígio foi particularmente notável no século XVI, quando foi elevada a metrópole eclesiástica e foi fundada a Universidade de Évora (afecta à Companhia de Jesus), pelo Cardeal Infante D.Henrique, primeiro Arcebispo da cidade.

Um rude golpe para Évora foi a extinção da prestigiada instituição universitária, em 1759 (que só seria restaurada cerca de dois séculos depois), na sequência da expulsão dos Jesuítas do país, por ordem do Marquês de Pombal. Évora é testemunho de diversos estilos e coerentes estÉticas, sendo ao longo do tempo dotada de obras de arte a ponto de ser classificada pela UNESCO, em 1986, como Património Comum da Humanidade.

Brasão e Bandeira

Brasão da Cidade Bandeira da Cidade

Visitantes

free counters

Links Externos

Município de Évora

Acessibilidade Web
O código XHTML 1.0 Strict desta página é válido! O código CSS desta página é válido! Em conformidade com o nível A da W3C-WAI Web Content Accessibility Guidelines 1.0